Santander (SANB11) condena invasão e diz que não fará negócios com empresas russas

O Santander afirmou ter eliminado taxas de transferências de recursos de países europeus à Ucrânia

O Santander (SANB11) condenou a invasão da Ucrânia pela Rússia e afirmou, por meio de comunicado, que não fará novos negócios com empresas russas, ampliando o coro do setor financeiro ocidental contra Moscou. Sem presença na Rússia, o banco espanhol disse que praticamente não possui exposição direta aos países envolvidos no conflito.

Conforme comunicado, publicado na manhã desta segunda-feira, o Santander afirmou ainda que está em “contato permanente” com as autoridades, principalmente as europeias, e cumprindo as sanções internacionais contra a Rússia. Desde o início do conflito, o sistema financeiro ocidental adotou diversas sanções contra Moscou, em retaliação à guerra.

“O Santander condena a invasão e se solidariza com os cidadãos da Ucrânia. Ajudar na crise humanitária é a principal prioridade do banco”, enfatizou o conglomerado espanhol, no comunicado.

Dentre as ações que adotou para ajudar na crise deflagrada pela invasão russa à Ucrânia, o Santander afirmou ter eliminado taxas de transferências de recursos de países europeus à Ucrânia; fez uma doação de um milhão de euros para apoiar refugiados e também prometeu dobrar doações feitas por seus funcionários.

Além disso, isentou a cobrança a clientes ucranianos na Polônia, liberando ainda o acesso deles a saque de dinheiro em agências e caixas eletrônicos.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas