Poupança tem saque líquido de R$ 5,35 bi em fevereiro, diz BC

Em janeiro, havia sido registrado um saque líquido de 19,7 bilhões de reais, maior resgate já observado para todos os meses da série histórica

A caderneta de poupança registrou saque líquido de 5,35 bilhões de reais em fevereiro, mostraram dados do Banco Central nesta segunda-feira.

Foi a quarta maior retirada líquida para meses de fevereiro da série histórica iniciada em 1995, perdendo apenas para períodos equivalentes nos anos de 2021 (-5,86 bilhões de reais), 2016 (-6,64 bilhões de reais) e 2015 (-6,26 bilhões de reais).

Do total, os saques superaram os depósitos no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) no valor de 2,44 bilhões de reais. Já na poupança rural, as saídas foram de 2,91 bilhões de reais.

Em janeiro, havia sido registrado um saque líquido de 19,7 bilhões de reais, maior resgate já observado para todos os meses da série histórica.

O fluxo de recursos na poupança apresentou uma reversão de sentido ao longo de 2021, passando a acumular retiradas significativas.

Antes, em 2020, havia sido registrada uma captação recorde de mais de 166 bilhões de reais, impulsionada pelo pagamento do auxílio emergencial e pelo baixo nível da taxa básica de juros, o que aumentou a competitividade da poupança frente a outros investimentos.

Em 2021, com a retirada do auxílio emergencial e o agressivo aperto monetário implementado pelo Banco Central, houve um saque líquido de 35,5 bilhões de reais.

Com os juros básicos da economia acima de 8,5% ao ano (a Selic está agora em 10,75%), os depósitos na poupança voltaram a ter rendimento fixo de 0,5%, ou 6,17% ao ano, acrescido da taxa referencial (TR), o que deixa a remuneração mais baixa do que outros investimentos de renda fixa.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas