“Não existe risco de explosão na usina como se fosse uma bomba atômica”, diz operador nuclear

Gerardo Portela explicou que o núcleo queimado na usina, é retirado e direcionado a uma piscina de elemento combustível

As autoridades da Ucrânia declararam nesta sexta-feira (4) que forças russas tomaram o controle da maior usina nuclear da Europa, a Zaporizhzhia, em Energodar. 

O operador nuclear e engenheiro Gerardo Portela destacou que não há risco de uma explosão da usina, mesmo que tenha pegado fogo. “Não existe risco de explosão como se fosse uma bomba atômica”.

Em participação no BM&C News, Portela explicou que quando uma usina trabalha para produzir energia, há um núcleo com 2 ou 3 toneladas de urânio 238. No entanto, o engenheiro afirmou que, na verdade, só um pequeno percentual dessas toneladas é realmente o material que gera a reação nuclear, que é o urânio 235.

“Esse mesmo núcleo, durante o ciclo de 1 ano, vai se transformando em outros produtos, e ao longo de vários ciclos, vai chegar um momento em que ele já não consegue mais produzir energia com eficiência”, disse Portela.  

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas