“Intenção é provocar pavor, instabilidade e ameaça”, diz engenheiro sobre incêndio em usina

Em entrevista à BM&C News, Gerardo Portela disse concordar com o posicionamento de autoridades que dizem que a Rússia cometeu um crime

A maior usina da Europa, a Zaporizhzhia, que fica localizada no sudeste da Ucrânia, foi tomada por tropas russas, que assumiram o controle após incêndio, de acordo com informações das autoridades do país nesta sexta-feira (4).

Em entrevista à BM&C News, Gerardo Portela, engenheiro e operador nuclear, disse concordar com o posicionamento de autoridades que dizem que a Rússia cometeu um crime.

“Muitas vezes, a energia nuclear é a única opção para determinados países. Então, fazer isso é criar uma instabilidade muito grande. É decepcionante um estatista autorizar o apontar de armas, nem que seja para o muro mais externo de uma usina, porque é um ato que tem a intenção de provocar medo, pavor, instabilidade e principalmente ameaça”, pontuou.

Além disso, o engenheiro destacou que não imaginava com que as autoridades estatistas iriam voltar suas armas para essas usinas, uma vez que a área nuclear é um espaço que tem suma importância na matriz energética.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas