Destaques da Bolsa: SulAméria (SULA11) dispara 15%; Companhias aéreas recuam

Confira os destaques desta quinta-feira (24)

O Ibovespa fechou em queda, nesta quinta-feira (24), com o início dos ataques da Rússia contra a Ucrânia. 

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em queda de 0,37%, cotado a 111.591,87 pontos.

A ação da SulAmérica (SULA11) teve forte alta de 15,19%, após a Rede D’Or anunciar que comprou a companhia. Já o papel da Rede D’Or (RDOR3) caiu 7,66%. 

Mesmo com a alta do petróleo, diante das tensões na Ucrânia, Petrobras ON (PETR3) recuou 1,57% e Petrobras PN (PETR4) teve queda de 2,43%. A empresa divulgou ontem os resultados do quarto trimestre de 2021 e o pagamento de dividendos.

Ainda sobre o impacto do conflito entre Rússia e Ucrânia, Azul (AZUL4) fechou em queda de 5,85%. Além disso, a companhia publicou o balanço do 4T21. CVC (CVCB3) também caiu 3,52% e Gol (GOLL4) teve perdas de 2,57%

Vale (VALE3) subiu 1,24%, enquanto as siderúrgicas registraram queda. 

Confira os destaques desta quinta-feira:

SulAmérica (SULA11) e Rede D’Or (RDOR3) 

A Rede D’Or comprou a SulAmérica Seguros. Os conselhos de administração das duas empresas aprovaram a transação, nesta quarta-feira (23). 

A operação será de troca de ações. Assim, os controladores da SulAmérica passam a deter uma participação minoritária no grupo da Rede D’Or.  

Nos termos do Acordo de Associação, os acionistas controladores da Rede D’Or e da SASA assumiram, reciprocamente, o compromisso de tomar todas as medidas visando à aprovação e à consumação da operação, incluindo a obrigação de votar favoravelmente à sua aprovação no âmbito das respectivas assembleias gerais da Rede D’Or e da SASA a serem convocadas para esse fim.

Os acionistas da seguradora receberão ações da Rede D’Or. O documento mostra que a Rede D’Or pagará R$ 20,31 por ação units da SulAmérica, prêmio de 49,3%.

 A SulAmérica também anunciou os seus resultados referentes ao 4T21. Dessa forma, a companhia registrou um prejuízo líquido de R$ 31 milhões. Foi uma reversão frente ao lucro líquido de R$ 42,7 milhõess registrado no mesmo período de 2020.

As receitas de seguros, por sua vez, tiveram alta anual de 3,4% no quarto trimestre para R$ 5,060 bilhões, enquanto em todo 2021 a linha acumulou R$ 19,875 bilhões, alta de 5,3% frente a 2020.

O EBITDA da companhia veio negativo em R$ 234,6 milhões. No ano, o indicador ficou negativo em R$ 115,9 milhões.

Petrobras (PETR3;PETR4) 

A Petrobras reportou lucro líquido de R$ 31,5 bilhões no quarto trimestre de 2021, queda de 47,4% quando comparado com o mesmo período de 2020. No ano, a companhia teve lucro de R$ 106,6 bilhões, aumento de 1400% na comparação anual. 

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 62,9 bilhões no 4T21, crescimento de 33,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. 

A receita de vendas registrou R$ 134 bilhões. O número representa alta de 79% sobre o quarto trimestre de 2020. 

Azul (AZUL4) 

A Azul registrou prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões no quarto trimestre de 2021, revertendo lucro de R$ 543 milhões no mesmo período de 2020, informou a companhia em balanço enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira.

No critério ajustado, a companhia reportou prejuízo líquido de R$ 436 milhões no período, ante resultado negativo de R$ 918,2 milhões um ano antes.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) alcançou R$ 1,02 bilhão no quarto trimestre, ante R$ 192,9 milhões em igual período de 2020.

Com isso, a companhia encerrou o período com margem Ebitda de 27,5%, avanço de 16,7 pontos porcentuais na comparação anual.

A receita líquida total da companhia alcançou R$ 3,7 bilhões de outubro a dezembro, aumento de 109,1% sobre igual intervalo do ano passado.

Minerva (BEEF3) 

A Minerva Foods informou ter registrado lucro líquido de R$ 150,3 milhões no quarto trimestre de 2021. O valor representa alta de 31,7% ante o lucro de R$ 114,1 milhões reportado em igual período de 2020.

 O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 735,3 milhões, alta de 19,2% sobre os R$ 616,9 milhões verificados no mesmo intervalo do ano anterior.

A receita líquida obtida entre outubro e dezembro somou R$ 7,505 bilhões, alta de 31,6% sobre os R$ 5,703 bilhões obtidos nos três meses do ano anterior. 

Ambev (ABEV3) 

A Ambev registrou lucro líquido de R$ 3,747 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa uma queda de 45,6% ante o reportado em igual trimestre do ano anterior. Já o lucro ajustado foi de R$ 3,885 bilhões, um recuo de 44,6% ante igual etapa de 2020.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e Amortização) ajustado somou R$ 6,784 bilhões, uma queda de 24,1% ante o apurado um ano antes. A receita líquida totalizou R$ 22,010 bilhões nos últimos três meses de 2021, um avanço de 18,6% ante o reportado no mesmo período do ano anterior.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Com Reuters e Estadão Conteúdo

Compartilhe:

Matérias relacionadas