Biden afirma que irá aumentar sanções contra a Rússia

Biden destacou ainda que as forças americanas não entrarão para lutar com a Rússia na Ucrânia
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou, nesta quinta-feira (24), que irá aumentar as sanções contra a Rússia. O país russo não poderá negociar em dólares e nem em euros. 

“Eu acabo de falar com líderes do G7 e estão todos alinhados. A Rússia não poderá negociar em dólares e nem em euros. É a maior sanção econômica já vista na história”, disse. 

Segundo Biden, um terço dos bancos russos serão cortados do sistema financeiro. “Essas sanções contra os bilionários russos começam nos próximos dias. Estamos impedindo que os russos obtenham dinheiro dos americanos ou de empresas americanas”, ressaltou. 

O presidente destacou ainda que as forças americanas não entrarão para lutar com a Rússia na Ucrânia. 

“Nós queremos proteger nossos aliados que estão na região. Deixando isso claro, os EUA vão defender todos os seus aliados com toda a sua força. A Otan está mais alinhada do que nunca”, disse Biden. 

“Queremos realizar essas medidas quando e onde forem necessárias”, completou. 

Biden ressaltou que as empresas petrolíferas norte-americanas não devem explorar esse momento para aumentar seus preços ou seus lucros. 

Sobre possíveis ataques cibernéticos russos, Biden disse que os EUA e aliados estarão prontos para responder. 

“Isso é algo que afeta toda a Europa, a liberdade comum e os princípios de paz global. Agora todo mundo vê que Putin e seus aliados sempre planejaram isso. Não é questão de se defender, mas de construir o seu império”, afirmou. 

Ele disse ainda que todas as nações que se associarem à Rússia, neste momento, terão suas imagens manchadas. 

“No contexto de democracia versus autocracia, não se engane, a liberdade irá permanecer”, concluiu Biden.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas