Gerdau (GGBR4) vê alta de resultados em 2022, puxados por operação na América do Norte

gou mais cedo lucro líquido de 3,56 bilhões de reais para o quarto trimestre
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

A Gerdau (GGBR4) espera ter mais um forte resultado em 2022, com impulso da demanda na América do Norte, enquanto no Brasil o consumo deve se estabilizar após regularização dos estoques desestabilizados pela pandemia, afirmaram executivos do grupo siderúrgico, nesta quarta-feira (23).

A empresa divulgou mais cedo lucro líquido de 3,56 bilhões de reais para o quarto trimestre, com um resultado operacional medido pelo Ebitda de 5,2 bilhões de reais. Os números ficaram abaixo do esperado pelo mercado, segundo dados da Refinitiv e as ações da empresa recuavam 2,9% às 16h14, enquanto o Ibovespa mostrava baixa de 0,43%.

Analistas do Itaú BBA citaram em relatório que a América do Norte foi o ponto alto do balanço da Gerdau no trimestre por conta de “sólido aumento de preços, que compensou o volume de vendas menor e margem Ebitda recorde de 27,4%.

Mas no Brasil, o Ebitda recuou na comparação trimestral, pressionado por uma normalização do quadro de oferta e demanda sobre os estoques de aço na cadeia. Falando a jornalistas, executivos da companhia afirmaram que a expectativa é de que os preços da liga no país fiquem estáveis no acumulado do ano.

Além disso, Rafael Japur, que substituiu Harley Scardoelli na diretoria financeira e de relações com investidores, afirmou que a Gerdau não tem planos de melhorar sua política de dividendos, após pagar 5,4 bilhões de reais em 2021, valor que supera a soma distribuída pela empresa nos últimos 10 anos.

“A política da empresa é de distribuição de pelo menos 30% do lucro ajustado…Este ano vamos distribuir 37%…É prematuro mudar a política”, afirmou o executivo.

O presidente da Gerdau, Gustavo Werneck, afirmou que as perspectivas da empresa para o primeiro trimestre na América do Norte “são muito positivas”, com uma carteira de pedidos acima da média histórica e equivalente a 71 dias de compra. Isso tem mantido o nível de utilização da capacidade da empresa na região acima de 90%, segundo ele. “A Gerdau terá em 2022 o melhor ano de sua história”, comentou o executivo.

A empresa projeta investimento de 4,5 bilhões de reais em 2022, um incremento de 50% sobre o desembolsado no ano passado. Os executivos afirmaram que os recursos irão para projetos de melhora da produtividade e que não há planos de novas adições relevantes de capacidade produtiva.

Entre os principais projetos de investimento da empresa está a adição de 250 mil toneladas de capacidade de bobinas a quente na usina de Ouro Branco (MG), que consumirá 1 bilhão de reais. A Gerdau também vai implantar nova linha de lingotamento contínuo em Pindamonhangaba (SP), com investimento previsto de 700 milhões de reais, e pretende atualizar uma usina no Canadá ao custo de 300 milhões de reais.

Questionado se os projetos de implantação de milhares de quilômetros de ferrovias anunciados pelo governo federal no país serão suficientes para a instalação de uma linha de produção de trilhos, Werneck afirmou que “seria um produto que se encaixaria bem no perfil da Gerdau”.

“Temos muito interesse em ter (produção de trilhos), se houver demanda que justifique” o investimento, disse Werneck. Segundo ele, o volume seria da ordem de 350 mil a 400 mil toneladas por ano. Atualmente, disse Werneck, o país consome cerca de 250 mil toneladas.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas