Siderúrgicas “reduzem descontos” de preços de aço plano em fevereiro

Em relação aos picos registrados em meados do ano passado, os preços de aços planos atualmente estão 12% a 15% menores, de acordo com ele

Os produtores de aços planos do país começaram em fevereiro a rever seus preços no mercado interno, após enfrentarem alta de importações no final do ano passado, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela associação de distribuidores, Inda.

As importações de aços planos no Brasil tiveram um pico em novembro, acima de 200 mil toneladas, e leve alta em janeiro, segundo os dados apresentados pela entidade.

“Não se trata de aumento de preços, mas de retirada de descontos que foram dados em relação aos aumentos aplicados no ano passado”, disse o presidente do Inda, Carlos Loureiro, a jornalistas.

“Esse movimento de retirada dos descontos começou agora em fevereiro. Em tese, todas (as siderúrgicas) anunciaram movimentos nesse sentido”, acrescentou Loureiro. Segundo ele, porém, a revisão nos preços ainda está em uma fase volátil, “só vamos sentir a efetividade do movimento mais para o final do mês”, afirmou.

Em relação aos picos registrados em meados do ano passado, os preços de aços planos atualmente estão 12% a 15% menores, de acordo com ele.

Mas no setor automotivo, que costuma acertar contratos mais longos, o ano começou com alta de 60% a 70% nos preços do aço em janeiro para cerca de um terço do volume que costuma ser vendido às montadoras de veículos, disse o presidente do Inda.

Os comentários ecoam declarações do diretor comercial da Usiminas, Miguel Homes, que afirmou mais cedo neste mês que a empresa tinha aplicado o percentual a alguns clientes do setor automotivo em janeiro e buscava implementar o mesmo nível de reajuste aos clientes restantes com contratos a partir de abril.

“Não vislumbramos, no momento, nenhuma situação em que este aumento não seja implantado”, afirmou Loureiro.

Em janeiro, o setor de distribuição de aço, responsável por cerca de um terço das vendas das usinas siderúrgicas, encerrou com alta de aproximadamente 19% no volume de estoques sobre o mesmo mês do ano passado, a 818,1 mil toneladas. Ante dezembro, o volume ficou praticamente estável. O volume é suficiente para 2,7 meses de vendas ante 2,1 meses em janeiro de 2021.

As vendas de aços planos pelo setor somaram 298,5 mil toneladas em janeiro, queda de 8,1% no comparativo anual, mas alta de 14,2% sobre dezembro. Já as compras caíram 10% ante janeiro do ano passado, mas avançaram 21,7% ante dezembro, para 302,4 mil toneladas, segundo o Inda.

Para fevereiro, a entidade estima que as compras e vendas tenham uma alta de 5% cada em relação a janeiro.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas