Prévia do IGP-M, tensão Rússia-Ucrânia e o que move o mercado hoje

O mercado repercute a última ata do Fomc, do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos

Os mercados mundiais operam de forma indefinida na manhã desta quinta-feira (17). Enquanto os índices futuros dos Estados Unidos apresentam queda, as bolsas asiáticas fecharam mistas, com o mercado repercutindo resultados corporativos, ata do Fomc e a tensão Rússia-Ucrânia.

As preocupações na Ucrânia voltam à atenção dos investidores, com a informação de que a Rússia não está retirando tropas de sua fronteira, mas sim aumentando o seu contingente em mais de sete mil soldados, de acordo com a afirmação de um alto funcionário da Casa Branca.

Ainda no cenário internacional, o mercado repercute a última ata do Fomc (sigla em inglês para Comitê Federal do Mercado Aberto), do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

A autarquia manteve a meta para a taxa dos fundos federais em 0 a 0,25% em apoio aos objetivos de emprego e inflação máximos na taxa de 2% no longo prazo. Os dirigentes da autoridade monetária esperam ainda que a inflação modere ao longo de 2022. 

Por lá, o dia é agitado. Hoje, às 13h (horário de Brasília), James Bullard, o Fed Boy que defende um tom mais “hawkish” para a política monetária, volta a falar.

Além disso, às 10h30 será divulgado o número de pedidos de seguro-desemprego semanal.

BRASIL

No cenário doméstico, a atenção continua à divulgação de balanços das empresas, com resultados sendo esperados de Aeris, Agrogalaxy, Gol, Hidrovias do Brasil, JHSF e Rumo.

A bolsa emplaca o maior patamar em cinco meses, impulsionada pelo investidor estrangeiro, com dólar recuando para R$ 5,12.

Como destaque dos indicadores, às 8h sai a segunda prévia do IGP-M e o IPC-S das capital da 2ª quadrissemana de fevereiro. Além disso, diretores do BC se reúnem com economistas.

RADAR CORPORATIVO

Kepler Weber (KEPL3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 84,1 milhões no 4T21, o que representa uma alta de 243,3% ante o mesmo período de 2020.

A Telefônica Brasil (VIVT3) anunciou que pagará R$ 180 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP). O valor por ação será de R$ 0,1073950071.

E o BNDES vendeu mais de 50 milhões de ações da JBS, em operação que totalizou cerca de 1,9 bilhão de reais. As informações são do diretor de Partipações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do banco, Bruno Laskowsky, concedidas à Reuters.

Veja a agenda de hoje:

HoraRegiãoEvento
8hBrasilIGP-M – 2ª prévia de fevereiro
8hBrasilIPC-S Capitais da 2ª quadrissemana de fevereiro
10h e 14hBrasilReunião trimestral de diretores do BC com economista
10h30EUAConstruções de moradias iniciadas em janeiro
10h30EUAPedidos de auxílio-desemprego

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas