ITSA3 e ITSA4: Itaúsa perdeu atratividade frente ao Itaú, afirma head de renda variável

O heade de renda variável afirmou que antes de de Itaúsa se tornar uma holding, 95% do resultado era de Itaú

Luiz Barsi é um  dos maiores investidores individuais da Bolsa brasileira e reconhecido por priorizar empresas que pagam bons dividendos. O investidor afirmou recentemente que retirou tudo o que tinha de ITSA4 em 2021.

Em participação no BM&C News, o head de renda variável da Levante, Flávio Conde, concordou com a decisão de retirar da carteira ITSA4 e ITSA3. “A Itaúsa perdeu atratividade frente ao Itaú”, afirmou Conde.

Conde explicou que antigamente o investidor comprava as ações da Itaúsa para receber dividendos do Itaú (ITUB3 e ITUB4) – na época, 95% do resultado de Itaúsa vinha do Itaú, ou seja, na hora de comprar o ativo, vinha um desconto de 20% a 25%.

No entanto, o especialista destacou que, ao mudar a gestão de Itaúsa, o gestor decidiu tornar a companhia uma holding, diversificando com várias empresas, entre elas,  Alpargatas, Aegea, uma participação minoritária na Nova Transportadora do Sudeste (NTS).

“Atualmente, se dividirmos o valor da participação do Itaú sobre o valor da soma das partes da Itaúsa caiu de 95% para 76% “, diz o head de renda variável.

Portanto, Conde disse que agora quando o investidor compra Itaúsa, não compra mais apenas “Itaú com desconto”.

“Se o investidor ainda assim, adora Itaú como eu, e deseja seguir investindo no Itaú, o instrumento é ITUB3 e ITUB4, não é em ITSA4 e ITSA3”, finalizou Flávio Conde.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas