Bullets da Semana: Erich Decat destaca os assuntos para você ficar de olho

Os três principais acontecimentos no âmbito da política e da economia que podem movimentar o mercado financeiro

O analisa político Erich Decat traz os três principais acontecimentos no âmbito da política e da economia que podem movimentar o mercado financeiro. Neste domingo (6), Decat entrevista Luccas Saqueto, economista e analista macro da GO Associados.

No primeiro bullet, Saqueto destacou a decisão do Copom de subir a Selic, taxa básica de juros, em 1,50 ponto percentual para 10,75% ao ano, como já era esperado pelo mercado.

“Mais importante do que o aumento, que já estava previsto desde dezembro, foram algumas indicações que vieram no comunicado do Copom. O Comitê não disse que irá parar de subir os juros, mas afirmou que reajuste será em uma intensidade menor”, disse o economista.

A Expectativa da GO Associados é que a taxa básica de juros encerre o ano em 12% a.a. Para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a consultoria acredita em uma variação de 5% em 2022, abaixo das expectativas do mercado – o último Boletim Focus mostrou que a mediana de projeções para o indicador de inflação é de 5,38% este ano.

No segundo destaque, o economista enfatizou a recuperação do mercado de trabalho formal do Brasil, citando dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados)  que foram divulgados na última semana, com a criação de 2,73 milhões de vagas de emprego no país em 2021.

Além disso, ele apontou que o resultado da indústria, que mostrou uma recuperação acima da expectativa do mercado. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a produção industrial brasileira registrou crescimento de 2,9% em dezembro. No ano, houve ganho acumulado de 3,9%.

Por fim, no terceiro destaque, Saqueto falou sobre os desdobramentos para a economia do conflito entre Rússia e Ucrânia. “Estamos falando de uma região que tem muito impacto no preço do petróleo e do gás natural, então pode trazer consequências para o Brasil. Os combustíveis foram grandes vilões da inflação em 2021 e continuam sendo ponto de atenção para 2022”, afirmou.

Acompanhe a entrevista exclusiva de Erich Decat com Luccas Saqueto, economista da GO Associados.

Compartilhe:

Matérias relacionadas