Falta de trabalhadores especializados nos EUA faz mão de obra estrangeira ser bem-vinda ao país

Dentre as profissões em escassez estão os professores cujo déficit até 2025 deve ser de mais de 316.000 , já que em 2019 40% menos pessoas ( se comparado com 2005) optaram por não seguir a carreira acadêmica .

Abrir as portas para os imigrantes está sendo visto como uma alternativa rápida e eficiente para preencher cerca de 11 milhões de vagas que existem nos Estados Unidos para mão de obra qualificada .

Dentre as profissões em escassez estão os professores cujo déficit até 2025 deve ser de mais de 316.000 , já que em 2019 40% menos pessoas ( se comparado com 2005) optaram por não seguir a carreira acadêmica .

Engenharia é outra profissão com carência de mão de obra e, por isso, a expectativa é que nos próximos 2 anos a demanda deve aumentar cerca de 10%, independente da especialização.

Mas, o que mais preocupa é a escassez de profissionais da área de saúde como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas…

Segundo a Associação de Colégios Médicos Americanos, nos próximos oito anos, o país terá uma carência de 121 mil profissionais de saúde.

Por causa disso, muita gente já tem se movimentado para solicitar Green Card com o visto EB2-NIW, usado para profissionais cuja mão de obra especializada é escassa em terras americanas ( Esse visto é extensivo a família: cônjuge e filhos até 21 anos) .

Só para se ter uma idéia da procura, o escritório Piquet Law Firm, um dos maiores e mais conceituados escritórios de imigração em Miami, tem pré-qualificado ( pessoas com chances de ter o visto aprovado) cerca de 150 profissionais, por mês, só na área de saúde.

Segundo o advogado de imigração, Alexandre Piquet, o visto EB-2 NIW (National Interest Waiver) pode ser solicitado estando a pessoa dentro ou fora dos EUA, ele explica, também, que o fato de ser uma profissão em escassez não libera o profissional de cumprir as exigências de validação do diploma, o que pode ser feito enquanto o visto é solicitado ou, após, a aprovação do Green Card. A vantagem é que este visto não requer que a pessoa faça qualquer tipo de investimento ( como é o caso do visto EB-5) ou tenha necessidade de ter um empregador no país.

Durante o andamento do processo, caso a pessoa esteja nos Estados Unidos, é emitida uma permissão temporária de trabalho – “Com essa permissão a pessoa vai poder trabalhar em qualquer emprego e até em alguma função dentro de um serviço de saúde mas, lembrando que para exercer a sua atividade original ela precisará da validação do diploma e da licença específica para a sua profissão aqui nos Estados Unidos.” – esclarece Alexandre Piquet.

Ele, também, destaca que o esforço e a paciência valem a pena já que os salários são de encher os olhos.

As remunerações variam de estado para estado e levam em consideração vários pontos da carreira de cada profissional, dentre eles : a formação acadêmica, os anos de experiência, a especialização…

Um médico pode ganhar, por mês, cerca de 8 mil dólares na Georgia e quase 18 mil em Connecticut ou na Flórida. Se ele for pediatra o recebimento anual pode passar de 200 mil dólares por ano, um anestesista ou cirurgião geral podem ter ganhos superiores a 250 mil dólares.

Enfermeiros e fisioterapeutas recebem por horas trabalhadas e, alguns profissionais chegam a receber dependendo da área de atuação de 50 a 100 dólares por hora podendo chegar a 170 mil dólares por ano.

Na outra ponta, os serviços médicos engrossam a torcida pela chegada de novos profissionais.

Há laboratórios de análises clinicas que estão desesperados a procura de biomédicos e não encontram, assim como médicos de família que precisam de assistentes/ enfermeiras para consulta e estão tendo dificuldade em preencher as vagas, situação que fica pior se o candidato precisar falar outra ou outras línguas que, não só, o inglês.

O motivo dessa carência ?

Não há um motivo específico mas, sim, vários: Segundo as pesquisas mais de 1 milhão de americanos que perderam ou deixaram o emprego durante a pandemia não estão buscando voltar ao mercado de trabalho. Além disso, apontam os especialistas há falta de incentivos do governo para a formação de profissionais e os alto custos para se cursar uma universidade dentre outros fatores.

Como solicitar o visto?

Para começar o processo de solicitação do visto EB-2 NIW o profissional de saúde, com diploma universitário, precisa ter 5 anos de experiência comprovada após o bacharelado e 4 cartas de apresentação / recomendação escritas por pessoas da área em que ele atua.

Alexandre Piquet, chama a atenção para um ponto extremamente importante no processo de imigração: a contratação de um profissional habilitado e registrado na ABA – American Bar Association , o equivalente a OAB – Ordem dos Advogados do Brasil.

Ele lembra, inclusive, que cada estado americano tem regras distintas para o funcionamento de escritórios de advocacia e, é importante saber se não há reclamações ou processos relacionados a atuação profissional do advogado no estado em que será dada entrada no pedido do visto EB-2 NIW. –

“A decisão de mudar de país mexe com toda a estrutura familiar e, qualquer erro pode ser fatal e devastador tanto na parte financeira como, e, principalmente, no psicológico de cada integrante da família, por isso é importante que todo o processo seja conduzido por um profissional habilitado.” , explica ele.

(Eleonora Paschoal)

Compartilhe:

Matérias relacionadas