Ações europeias caem com perdas de tecnologia e sinais do BCE de alta de juros este ano

A agitação com um aperto da política monetária este ano levou as ações de tecnologia europeias a perderem 12% em janeiro, pior mês desde o pico da crise financeira de 2008
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

As ações europeias caíram com força nesta quinta-feira depois de sinais de que o Banco Central Europeu deverá elevar os juros este ano, enquanto resultados fracos da Meta, proprietária do Facebook, ampliaram a pressão sobre as ações globais de tecnologia.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 1,76%, a 468,63 pontos, com as ações de tecnologia apresentando o pior desempenho, em queda de 3,5%.

O setor foi pressionado por um salto nos rendimentos dos títulos depois que a presidente do BCE, Christine Lagarde, optou por não repetir seu comentário anterior de que um aumento dos juros em 2022 é improvável, diante da inflação mais alta.

A agitação com um aperto da política monetária este ano levou as ações de tecnologia europeias a perderem 12% em janeiro, pior mês desde o pico da crise financeira de 2008.

A perspectiva de aumento de juros afeta o valor de lucros futuros de tecnologia. O banco central britânico também elevou os juros nesta quinta-feira.

Ampliando a pressão sobre as ações globais de tecnologia, a Meta perdeu quase um quarto de seu valor depois de resultado muito mais fraco que o esperado.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,71%, a 7.528,84 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,57%, a 15.368,47 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,54%, a 7.005,63 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,09%, a 27.088,96 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,27%, a 8.689,40 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,87%, a 5.579,15 pontos.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas