Preços ao produtor fecham 2021 com alta recorde de 28,39%, diz IBGE

Em dezembro, os preços da indústria variaram -0,12% frente a novembro

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou nesta terça-feira (1) que o Índice de Preços ao Produtor (IPP) teve alta de 28,39% no acumulado de 2021. Em dezembro, os preços da indústria variaram -0,12% frente a novembro, um recorde para a série histórica, iniciada em 2014.

O IPP mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, isto é, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Oito delas fecharam o ano com alta, destaque para refino de petróleo e biocombustíveis (69,72%), outros produtos químicos (64,09%), metalurgia (41,79%) e madeira (40,76%).

 Já as principais influências no acumulado da indústria geral vieram do refino de petróleo e biocombustíveis (com 5,88 p.p.), outros produtos químicos (5,14 p.p.), alimentos (4,77 p.p.) e metalurgia (2,73 p.p).

A pesquisa investiga, em pouco mais de 2.100 empresas, os preços recebidos pelo produtor, isentos de impostos, tarifas e fretes e definidos segundo as práticas comerciais mais usuais.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas