Inflação na zona do euro, corte de juros na China e o que move o mercado hoje

Na China, o PBoC cortou as taxas de juros de referência (LPRs) para empréstimos de curto e longo prazos, ficando de 3,80% para 3,70%

As Bolsas globais operam de forma mista na manhã desta quinta-feira (20). Os índices dos Estados Unidos apresentam leve alta, com os investidores se recuperando das quedas desta semana, causado pela maior apreensão da elevação de juros nos EUA. Enquanto isso, na China continental, o tom foi negativo, apesar do corte na taxa de juros.

As baixas no mercado norte-americano fizeram com que os rendimentos do tesouro americano de 10 anos chegassem a níveis próximos a 1,90%, o que diminuiu o apetite dos investidores em renda variável, principalmente em ações ligadas à tecnologia.

Na China, o Banco do Povo (PBoC, Banco Central chinês) cortou suas taxas de juros de referência (LPRs) para empréstimos de curto e longo prazos, ficando de 3,80% para 3,70%.

A LPR para empréstimos de cinco anos ou mais saiu de 4,65% para 4,60%. Os cortes eram esperados pelo mercado, já que o PBoC reduziu a taxa de médio prazo de 2,95% para 2,85%.

Na zona do euro, o CPI (taxa anual de inflação ao consumidor) atingiu a máxima histórica de 5% em dezembro, de acordo com os dados finais divulgados hoje pela Eurostat (agência de estatísticas da União Europeia).

Já aqui no Brasil, tivemos o segundo dia seguido positivo na quarta-feira (19), onde o Ibovespa fechou em alta de 1,28%, aos 108 mil pontos, com a forte demanda compradora dos investidores internacionais em ações ligados às commodities, que sustentaram o índice, como Petrobras (PETR3; PETR4) e Vale (VALE3).

No âmbito político, o mercado acompanha as falas do ex-presidente Lula sobre a indicação a vice para as eleições de 2022. A agenda econômica brasileira, no entanto, segue vazia.

No radar corporativo, a Ford divulgou os resultados do 4T21, com um ganho de US$ 8,2 bilhões referentes ao investimento na Rivian.

A Petrobras comunicou que planeja investir R$ 2,5 bilhões em paradas de manutenção de unidades em suas refinarias neste ano.

E a produção média de petróleo do Brasil em dezembro somou 2,84 milhões de barris por dia (bpd), alta de 4% ante o mesmo mês de 2020, apontaram dados da ANP.

Veja a agenda do dia:

HoraRegiãoEvento
Sem horário divulgadoEUABalanços Netflix e American Airlines
9h30AlemanhaBCE divulga ata da última de decisão de política monetária
10h30EUAPedidos de auxílio-desemprego da semana até 15/01
Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas