China: Remessas de smartphones se recuperam das baixas

Pandemia foi o grande vilão nas vendas, e escassez de chips ainda preocupa

As remessas domésticas de smartphones na China se recuperaram do impacto sofrido durante a pandemia, mas ainda não se recuperaram aos níveis pré-covid. A recuperação é gradativa, mas já anima o setor.

As remessas domésticas de smartphones chineses aumentaram 15,9% em relação ao ano anterior em 2021, para 342,8 milhões de unidades, de acordo com a Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicação (CAICT).

Ainda assim, o número de remessas de smartphones de 2021 está abaixo das 371,7 milhões de unidades enviadas em 2019, antes do início da pandemia.

A indústria de smartphones enfrentou vários problemas em 2021, incluindo a escassez global de semicondutores e surtos de Covid na China.

As remessas domésticas de smartphones totalizaram 342,8 milhões em 2021, um aumento de 15,9% em relação ao ano anterior, de acordo com dados divulgados na terça-feira pela Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicação (CAICT).

Esse foi um forte crescimento em comparação com 2020, que viu o mercado ser atingido devido ao surto de coronavírus na China.

Ainda assim, o número de remessas de smartphones de 2021 está abaixo das 371,7 milhões de unidades enviadas em 2019, antes do início da pandemia.

A indústria de smartphones enfrentou uma série de problemas em 2021 que talvez tenham impedido o mercado de atingir níveis pré-pandemia, de acordo com Neil Shah, sócio da Counterpoint Research.

Shah disse que a “escassez da cadeia de suprimentos” era um grande problema, referindo-se à escassez global de semicondutores que atingiu indústrias de automóveis a eletrônicos de consumo.

(Com Reuters)

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas