SUZB3: “impacto positivo para a companhia”, avalia analista sobre a elevação de preço da celulose

O analista destacou que a companhia detém uma geração de caixa muito forte, mas que ainda não vemos o reflexo no preço das ações

Na última semana, a Suzano (SUZB3) anunciou que elevará os preços da celulose de fibra curta na Ásia em US$ 50 a tonelada para os pedidos de fevereiro. Este é o terceiro aumento anunciado pela companhia nesta região. O analista da Inversa, João Abdouni, em entrevista ao BM&C Stock, avaliou os impactos desta alta de preço.

Para o analista, a elevação de preço deve impactar positivamente, “uma vez que o mercado costuma ‘tradar’ (de day trade) os papéis de Suzano e Klabin , de acordo com essa volatilidade”. 

Nesse sentido, em um horizonte a longo prazo, Abdouni afirmou que a Inversa trabalha com uma celulose média na casa entre US$ 600 e US$ 650 por tonelada, e um custo de produção na casa dos US$ 250 por tonelada.

Sendo assim, o analista explicou que a companhia atualmente tem 10 milhões de toneladas em produção anual e em 2024 deve chegar a 12,5 milhões de produção.

“Portanto, é uma geração de caixa muito forte, em que ainda não vemos refletindo 100% no preço das ações da companhia”, avaliou Abdouni.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas