“O ICMS não é o culpado pela gasolina, botijão e o diesel estarem caros”, diz CEO da CBIE

O especialista disse acreditar que o rali deve continuar, puxado pelo cenário eleitoral, e que os preços devem continuar subindo neste ano
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

A alta da inflação, o aumento do preço da gasolina e o cenário eleitoral tem sido a preocupação do mercado neste ano. Para Adriano Pires, CEO do Centro Brasileiro de Infraestrutura, “o ICMS não é o culpado pela gasolina, botijão e o diesel estarem caros, o culpado é o preço do barril e o câmbio depreciado”, disse , em participação na programação da BM&C News, nesta terça-feira (18).

Pires relembrou que no ano passado, o preço do barril de petróleo subiu muito e pontuou que o governo Bolsonaro, em sua visão, é o governo que deu mais liberdade de preço para a Petrobras.

Por outro lado, na avaliação de Pires, em relação ao rali de preço do barril e câmbio depreciado, o governo não criou políticas públicas para que essa volatilidade de preço do combustível não chegasse de uma maneira tão rápida ao bolso do consumidor.

Além disso, o CEO da CBIE citou o Vale gás, que surgiu tímido e o fundo de estabilização que acabou não acontecendo para medidas de contenção.

Diante disso, o especialista disse acreditar que o rali deve continuar, puxado pelo cenário eleitoral, e que os preços devem continuar subindo neste ano.

Por fim, Pires fez uma comparação com o governo Biden, nos Estados Unidos, que colocou reserva de petróleo no mercado, de modo a segurar o preço da gasolina, e destacou que no Brasil não foi feito nada.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas