Ibovespa resiste a pressão do exterior e fecha em alta

Nos EUA o mercado reagiu à sinalização de que o Fed deve iniciar em março o ciclo de aperto monetário

O pregão desta terça-feira (18), foi marcado pelas altas e baixas do Ibovespa, que cedeu em alguns momentos a queda, pressionado pelo mau humor das bolsas do exterior. Entretanto, devido aos ganhos da Vale ativos dos bancos, o índice resistiu e conseguiu finalizar o dia no azul. 

Nos EUA o mercado voltou do feriado ajustando os ativos à sinalização de que o Fed deve iniciar em março o ciclo de aperto monetário, que poderá se estender até 2024 em uma série de altas do juro no país norte-americano, além da redução do balanço patrimonial, com o enxugamento da liquidez.

Outro ponto é a disparada nos rendimentos do Tesouro, com vencimento em 10 anos, que atingiu a máxima de 2 anos, com 1,83%. Já o rendimento dos títulos do governo de 2 anos, passou de 1% pela primeira vez desde fevereiro de 2020.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em alta de +0,28%, cotado a 106.667,66 pontos.

dólar comercial fechou em alta de +0,61%, cotado a R$ 5,5603

Nos Estados Unidos, as bolsas fecharam em desvalorização. O S&P 500 fechou em queda de -1,83% (4.577,34), o Nasdaq registrou baixa de -2,60% (14.506,90), enquanto o Dow Jones encerrou o dia em declinio de -1,51% (35.369,39).

Confira os destaques desta terça-feira:

Cade abre apuração para investigar possível abuso da Petrobras no mercado de combustíveis

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu uma investigação para apurar “possível abuso de posição dominante, por parte da Petrobras, no mercado de combustíveis”, conforme a assessoria do órgão confirmou à Reuters nesta terça-feira.

A estatal tem até 21 de janeiro para prestar esclarecimentos acerca do aumento dos preços da gasolina e do diesel anunciados pela companhia na semana passada.

A Superintendência-Geral do Cade faz uma lista de questionamentos à Petrobras, como custo mensal para importação e exportação de petróleo e para cada derivado, política remuneratória e de participação de lucros e resultados de diretores e funcionários da empresa e a composição do preço de paridade de importação (PPI) entre janeiro de 2017 e dezembro de 2021.

Mourão diz que Orçamento não tem espaço para reajuste de servidores

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira que não há espaço no Orçamento da União para a concessão de reajuste salarial para servidores públicos, no dia em que representantes de diversas categorias fazem protestos em Brasília na tentativa de obter aumentos.

“Você sabe muito bem que não tem espaço no Orçamento para isso”, disse o vice-presidente pela manhã.

Mourão disse que nem mesmo o reajuste para trabalhadores da área de segurança pública da esfera federal e agentes comunitários está garantido.

“Não sei nem se o presidente vai conceder isso daí (segurança e saúde), vamos aguardar aí o presidente bater o martelo disso daí, espaço orçamentário é muito pequeno.”

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas