Governo reafirma decisão de manter teor de biodiesel no diesel em 10% para 2022

A decisão foi anunciada em novembro, mas a indústria de biodiesel e de soja - principal matéria-prima do biodiesel - ainda buscava uma reversão da medida
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

 O governo brasileiro reafirmou sua decisão de manter em 10% o teor de biodiesel no diesel ao longo de 2022, diante de um aumento do preço do biocombustível, informou o Ministério de Minas e Energia em nota nesta segunda-feira, em uma medida que havia causado forte reação de integrantes do setor.

A decisão foi anunciada em novembro, mas a indústria de biodiesel e de soja – principal matéria-prima do biodiesel – ainda buscava uma reversão da medida.

No comunicado desta segunda-feira, a pasta destacou que a conjuntura internacional, que provocou o aumento significativo do preço do óleo de soja, aliado à desvalorização cambial, gerou o aumento do preço do biodiesel a patamar muito superior ao preço do diesel.

“Considerando as informações atuais, o aumento do teor do biodiesel no diesel A (puro), de 10% para 13% até fevereiro e 14% entre março e dezembro, significaria um gasto adicional para a população brasileira de 9,15 bilhões de reais ao longo do ano, considerando o volume projetado de 61 bilhões de litros de diesel B para 2022”, disse o ministério.

“O valor seria suficiente para atender 1 milhão e 906 mil famílias por ano com o Auxílio Brasil, de 400 reais por família.”

O ministério disse ainda que a decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) de 2018, que havia estabelecido teores mínimos maiores, foi tomada em momento no qual o preço do biodiesel encontrava-se em torno de 2,50 reais por litro e o diesel A custava 2,37 reais por litro.

“​De 2018 até 2022, o biodiesel aumentou 168%, para 6,70 reais por litro, enquanto o diesel A aumentou 53%, para 3,63 reais por litro.

“Desta forma, fica evidente que as condições em que a decisão foi tomada modificaram-se e a expectativa de que o aumento da mistura de biodiesel iria reduzir o seu preço não se concretizou”, afirmou a pasta.

Dessa forma, o ministério disse que “não há que se falar em instabilidade de regras”.

“Eventuais investimentos foram realizados pelos produtores de biodiesel à luz da Lei n° 13.033/2014, que determina que o teor mínimo obrigatório de biodiesel pode ser fixado pelo CNPE entre 6% e 15%, e da Lei n° 9.478/1997, que obriga os formuladores da política energética nacional a proteger o consumidor quanto a preço, qualidade e oferta de produto”, frisou.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas