Setor de varejo: “2022 não promete ser fácil”, diz especialista

Meneses reforçou que a incerteza ainda é muito elevada, apesar do preço depreciado das companhias

Em entrevista ao BM&C Market, Anderson Meneses, fundador e CEO da Alkin Research, fez avaliação para o setor de varejo, que vem sofrendo impactos diante do cenário atual. O especialista destacou que nem mesmo os mais pessimistas do mercado conseguiriam prever o cenário ruim para o setor.

“2022 não promete ser fácil. Talvez lá para o fim do ano com a Copa do Mundo, Black Friday e eleição já passando pode ser que a gente tenha um outro cenário, mas até lá, até a Selic normalizar a gente não vê como um momento de virada”, analisou.

Para Meneses, fatores como a perda do poder de compra, a inflação que tornou os produtos mais caros, competição maior com os players asiáticos e a Selic mais alta tem sido os principais problemas da performance ruim no setor.

O executivo citou ainda grandes empresas do varejo como Amazon, Mercado Livre e Via, que estão revendo política de preços para os vendedores de marketplace, e disse que esse movimento mostra o quanto as varejistas estão precisando utilizar de artifícios para segurar o capital que não está entrando por meio das vendas.

Por fim, Meneses reforçou que a incerteza ainda é muito elevada, apesar do preço depreciado das companhias. “Nada mais do que cautela a gente recomenda nesse momento para esse setor”, destacou.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas