“O brasileiro tem uma visão de curto prazo na Bolsa, isso acaba prejudica as empresas e crescimento do mercado”, avalia gestor

O gestor destacou que a B3 precisa mudar sua estratégia para trazer mais investidores para a bolsa.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Em participação ao BM&C Stock, o gestor educacional da Órama, Gilvan Bueno, foi questionado sobre as possíveis estratégias que a B3 pode adotar para atrair mais investidores locais para a bolsa de valores. “O brasileiro tem uma visão de curto prazo na Bolsa, isso acaba prejudicando as empresas e o crescimento do mercado”. 

Sendo assim, o gestor educacional destacou um problema do mercado brasileiro, que é a falta de educação financeira no país. “Precisamos criar uma cultura que todos possam participar, reduzindo os custos e investindo em educação para o investidor”.

“A B3 teria que mudar a estratégia de colocar empresas na Bolsa”, afirmou Bueno. Uma vez que, é muito caro para uma empresa entrar na Bolsa e ser negociada, pontuou o gestor.

Por fim, o gestor educacional completou, que fora da B3, tem o ponto Brasil, “em que ele precisa criar condições para que as pessoas tenham maior renda para poder investir”.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas