IBOV: “Não vi Bolsa no cenário risco e retorno tão bom como agora”, avalia investidor profissional

Thiago pontuou que o horizonte do investidor deve ser de acumulador de negócios, e não especulativa, o momento é bastante propício para comprar ativos de risco
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

O Ibovespa (IBOV), que se mantem mais perto dos 100 mil pontos, começou a semana em queda, e encerrou o último pregão no mesmo ritmo das bolsas no exterior. Para Thiago Ribeiro, investidor profissional e consultor de investimentos, olhando o preço dos ativos, o cenário é muito propício para quem tem uma perspectiva de longo prazo.

“Eu pelo menos acho que não vi a Bolsa, no cenário risco e retorno, tão bom como agora. Já teve Bolsa mais barata, mas o risco era maior, como em 2015 e em 2020 com o coronavírus”, disse Thiago no programa Top News, da BM&C News.

Na avaliação, o consultor acrescentou que o momento é de incerteza e citou o cenário doméstico com o nível de juros, cenário eleitoral e fiscal, que devem causar muita volatilidade no mercado. No exterior, o contexto mais incerto se dá em razão do aumento de juros norte-americano e a retirada de estímulos.

“Isso tudo faz os ativos de risco sofrerem um desconto forte. Além desses fatores macro, tem ainda o fator de fluxo”, analisou. Thiago contextualizou sobre as pessoas físicas, que sofrerem perdas e pediram resgate, e com isso, os fundos de ações tiveram de vender essas ações para pagar os resgates.

Ainda, o especialista destacou sobre o investidor estrangeiro, que está entrando em Bolsa, mas ainda de uma maneira tímida, além do país ser pouco relevante no cenário global.

“Tem muito vendedor e pouco comprador de Bolsas brasileira. Então, se some esse cenário de incerteza macro mais esse fluxo negativo de compra e venda dos ativos, a gente chega no preço dos ativos em Bolsa hoje, que é bastante depreciado, tem muito risco já no preço”, avaliou.

Para isso, Thiago pontuou que o horizonte do investidor deve ser de acumulador de negócios, e não especulativa, o momento é bastante propício para comprar ativos de risco.

Confira a análise completa:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas