BTG recomenda compra de JBS e classifica como ‘melhor escolha’ em alimentos

O preço-alvo definido pelo banco indica um prêmio de 44,3% em relação à cotação atual
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

O BTG Pactual divulgou nesta quinta-feira (9) uma análise sobre as ações da JBS (JBSS3) e recomendou a compra dos papéis da companhia. O preço-alvo definido pelo banco é de R$ 50, o que indica uma valorização de 44,3% em relação ao fechamento da última quarta-feira (8).

A instituição financeira classificou a companhia como Top Pick (melhor escolha, em inglês) do setor de alimentos. Segundo o BTG, a JBS possui uma série de catalisadores de longo prazo, incluindo as margens de carne bovina nos Estados Unidos e as prioridades de alocação de capital.

No relatório, o banco ressaltou também que a listagem na bolsa dos Estados Unidos é uma prioridade da administração da JBS. O processo, interrompido pela pandemia e outras implicações fiscais, foi considerado pelo BTG como um risco potencial positivo.

Outro ponto levantado pela instituição financeira é o desinvestimento do BNDES, já anunciado pelo banco de fomento. A estatal possui uma participação de 24,5% na JBS, mas ainda não deu mais informações sobre como — e se — prosseguirá com os planos de venda.

“Mas se assim fosse, acreditamos que a JBS poderia ser um dos principais compradores, depois de recomprar ações de forma mais agressiva nos últimos trimestres […] A administração também mencionou como vê a recompra de ações como uma opção valiosa de alocação de capita”, diz o relatório.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas