Cargill pretende remover toda gordura trans produzida de óleos comestíveis

A companhia informou que será a primeira fornecedora global a cumprir o padrão da OMS
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

A Cargill pretende remover toda a gordura trans produzida industrialmente de seu portfólio global de óleos comestíveis, anunciou a companhia nesta segunda-feira, 6. Isso permitirá que a Cargill e seus clientes cumpram até o fim de 2023 o padrão recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de no máximo 2 gramas de ácidos graxos trans produzidos industrialmente (iTFA, na sigla em inglês) por 100 gramas de gorduras/óleos, disse a empresa.

A companhia informou que será a primeira fornecedora global a cumprir o padrão da OMS em todo o portfólio de óleos comestíveis, e que fará investimentos para atualizar várias instalações.

Atualmente, cerca de 89% de seu portfólio de óleos comestíveis já atende ao padrão da OMS.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas