Trigo amplia queda em Chicago com preocupações sobre a variante ômicron

Todo o complexo de grãos sentiu a pressão no início da sessão, depois que a Moderna advertiu que as vacinas de Covid-19 provavelmente não seriam tão eficazes contra a variante do ômicron
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Os preços do trigo de Chicago caíram para uma mínima de quase três semanas nesta terça-feira, a medida que as preocupações de que a disseminação da variante do coronavírus ômicron poderia desacelerar a economia global levaram os investidores a reduzir a exposição ao risco.

Todo o complexo de grãos sentiu a pressão no início da sessão, depois que a Moderna advertiu que as vacinas de Covid-19 provavelmente não seriam tão eficazes contra a variante do ômicron.

O milho seguiu o trigo em queda, enquanto a soja caiu pela quinta sessão consecutiva, com uma queda acentuada no mercado de petróleo e o bom clima para o desenvolvimento da safra na América do Sul adicionando pressão sobre os preços.

“O fundamental opressor no mercado agora é o medo da ômicron e do que ela poderia fazer com a demanda”, disse Jack Scoville, analista de mercado do The Price Futures Group, que observou que grande parte da liquidação foi causada por fundos em busca de cobertura.

Na bolsa de Chicago, o contrato mais ativo do trigo fechou em queda de 35 centavos de dólar a 7,8750 dólares o bushel. Mais cedo na sessão, o contrato caiu para 7,8250 dólares, a mínima desde 10 de novembro.

A soja fechou em queda de 24,25 centavos de dólar para 12,1725 dólares o bushel, enquanto o milho fechou em queda de 14,75 centavos de dólar, para 5,6750 dólares o bushel.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Últimas notícias

Matérias relacionadas