IPCA-15: “Não significa queda de preço e sim que alta foi menor”, diz analista

Alan Ghani, analista, e Alexandre Cabral, professor de finanças, avaliou dados divulgados sobre prévia da inflação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial, subiu 1,17% em novembro, sobre alta de 1,20% no mês anterior, conforme informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã desta quinta-feira (25).

“Quando a gente fala ‘desacelerou em relação ao mês anterior’ não significa que houve queda de preço, e sim que a alta foi menor do que o mês anterior. (…) veio um pouco acima da mediana, porém dentro dos intervalos das projeções, não foi algo tão descontrolado”, disse o analista Alan Ghani no programa BM&C Market. Essa também foi a justificativa utilizada pelo analista para explicar o pouco impacto no mercado.

Além disso, Ghani disse que a inflação foi puxada por preços administrados e não por preços livres, que veio mais em bens duráveis e não tanto em serviços. “Talvez, o componente de demanda da inflação esteja perdendo força”, avaliou.

O professor Alexandre Cabral analisou o cenário para o descontrole dos juros e disse que não há como controlar o problema de petróleo mundial. “Não está aquele desespero em dizer que o Banco Central está completamente atrás da curva”, destacou.

Confira a explicação completa de Alan Ghani:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.