Destaques da bolsa: Vale e Petrobras sobem 2% e puxam Ibovespa

Locaweb interrompeu três dias de queda e subiu 4%, recuperando partes das perdas; Klabin e Suzano também subiram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Ibovespa conseguiu se manter positivo durante a maior parte do dia e encerrou o pregão desta quarta-feira (24) em alta de 0,83%, cotado a 104.514,19 pontos. Os investidores ficaram de olho na definição da data para votação da PEC dos Precatórios na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que ocorrerá na próxima terça-feira, dia 30. No exterior, os indicadores econômicos dos Estados Unidos e a ata do Federal Reserve (Fed) também foram destaques.

Vale (VALE3) registrou elevação de 2,3%, com siderúrgicas acompanhando a alta, na esteira de valorização das cotações dos futuros de minério de ferro na Ásia.

Petrobras (PETR4) subiu 2,1%, tendo no radar a divulgação do plano estratégico 2022-2026 pela companhia na quinta-feira. As negociações tinham ainda de pano de fundo a queda dos preços do petróleo no exterior, o que ajudou a derrubar os papéis de PETRORIO ON em 3,4%.

Suzano (SUZB3) subiu 2,6% e Klabin (KLBN11) avançou 1,7%, corroborando boa sessão para empresas ligadas a commodities.

Locaweb (LWSA3) interrompeu três sessões de queda e subiu 4,8%. Analistas do BTG Pactual consideram que os múltiplos atuais da empresa mostram um ponto de entrada atrativo, após queda de cerca de 40% desde a divulgação dos resultados do terceiro trimestre.

Entre as ações com as maiores altas, estão: Banco Pan (BPAN4: +5,19% – R$ 11,36); Locaweb (LWSA3: +4,84% – R$ 13,85); e Banco Inter (BIDI11: +4,02% – R$ 36,20).

Entre as ações com as maiores quedas, estão: Natura (CASH3: -3,64% – R$ 28,09); PetroRio (PRIO3: -3,40% – R$ 21,90); e Rede D’Or (RDOR3: -3,12% – R$ 52,15).

Confira alguns destaques da bolsa nesta quarta-feira:

Usiminas (USIM5)

Com a valorização no preço do minério de ferro, os papéis da Usiminas subiram 3,48%, a R$ 13,67. As ações da empresa fecharam entre as maiores altas da bolsa nesta quarta.

A commodity teve valorização acima de 4% nos três pregões desta semana e atingiu o patamar de US$ 100 a tonelada hoje. Em Qingdao, na China, o minério é cotado em US$ 102,76.

Bradesco (BBDC4)

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a operação pela qual o Bradesco passa a deter indiretamente, de forma isolada, a totalidade do capital social e votante do Banco Digio, empresa integralmente controlada, diretamente, pela Kartra Participações e, indiretamente, pela Elo Participações e pelos grupos Banco do Brasil e Bradesco, por meio da BB EloPar e da Bradescard, respectivamente. A decisão está publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Pelo contrato, segundo as empresas informaram em outubro, o Bradesco adquire a participação restante de 49,99% no Banco Digio por R$ 625 milhões, passando a deter, indiretamente, 100% do capital social da empresa. A operação foi realizada entre a Bradescard Elo e a BB Elo.

TIM Brasil (TIMS3)

Na noite da última terça, a TIM divulgou fato relevante informando que não recebeu qualquer contato direto ou proposta da KKR, ou qualquer informação ou comunicação sobre o assunto da sua controladora, a Telecom Italia.

Além disso, analistas da Safra Corretora divulgaram relatório com recomendação de compra para as ações da TIM Brasil (TIMS3), com preço-alvo de R$ 18, o que indica um potencial de valorização de 30% em relação ao último fechamento.

Movida (MOVI3)

O Banco Safra percebeu novas oportunidades na Movida (MOVI3), principalmente após os resultados trimestrais e recentes aquisições, e manteve a recomendação de compra na empresa. O preço-alvo para final de 2022 aumentou de R$ 22,50 para R$ 31,50.

O banco vê grande potencial de crescimento com a recente incorporação da CS Brasil pela Movida.

“O negócio de terceirização de frotas representava cerca de 10% da receita da Movida em 2016, contra 32% do segmento de RAC [aluguel de carros]”, destacou o relatório. “Com a aquisição de CS Brasil em 2021, esperamos que o negócio de aluguel de frotas quase iguale sua participação nas receitas com o negócio RAC em 2028.”

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

*Com Reuters