“É possível realizar o Auxílio Brasil sem os efeitos colaterais pretendidos pelo governo”, diz Moro

Além disso, ele disse que a PEC dos Precatórios é sim calote e que é necessário manter a responsabilidade fiscal alinhada com a responsabilidade social
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, esteve no Senado nesta terça-feira (23) para falar a respeito do posicionamento do Podemos a favor da PEC dos Precatórios. O partido entra com uma proposta que altera determinadas questões da PEC e torna o Auxílio Brasil um programa permanente.

De acordo com Moro, seria possível realizar o Auxilio Brasil sem os efeitos colaterais pretendidos pelo governo, que pretende derrubar o teto de gastos. “É possível aumentar o bolsa família sem romper o teto de gastos, como quer o governo. O governo aumenta teto fiscal para finalidades que não se justificam, como emendas de relator, sem nenhuma transparência“, afirma Sergio Moro.

Além disso, ele defende a proposta do Podemos. “Proposta do Podemos é combater a pobreza, mas sem furo ao teto de gastos“. Moro finaliza afirmando que o Podemos não vai compactuar com o desemprego dos trabalhadores brasileiro, sob o argumento de que a PEC seria a favor do combate à pobreza.

Além disso, ele diz que a PEC dos Precatórios é sim calote e que é necessário manter a responsabilidade fiscal alinhada com a responsabilidade social.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.