Em discurso, Barroso rebate falas de Bolsonaro sobre eleições no Brasil

Presidente comenta as afirmações do mandatário durante o feriado
ministro luis roberto barroso stf 3

Dois dias após as afirmações de do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) às eleições e ao sistema das urnas eletrônicas durante as manifestações por ocasião do dia 7 de setembro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, fez um discurso em defesa do sistema eleitoral e rebateu as afirmações feitas pelo mandatário.

Em seu discurso, Barroso instituiu a Comissão de Transparência das Eleições de 2022. A comissão, que contará com 12 pessoas, será integrada por representantes da área de tecnologia e de representantes da sociedade civil. Além disso, está sendo instituída uma comissão de observação das eleições.

Confira as principais falas do presidente do TSE e ministro do STF durante o discurso nesta quinta-feira (9):

+ Barroso/TSE: faço breve pronunciamento sobre os eventos de Sete de Setembro

+ Fux já se manifestou sobre os ataques ao STF com o vigor que se impunha A mim, como presidente do TSE, cabe rebater o que se disse de inverdades sobre o sistema eleitoral

+ Barroso/TSE: começa a ficar cansativas as inverdades; é muito triste o ponto a que chegamos

+ Este é o Tribunal da Democracia e é o local para compreender o que está acontecendo

+ Barroso/TSE: a democracia vive momentos dificeis em todo mundo: Hungria, Polônia, Venezuela, Nicaragua e El Salvador

+ É deste clube que não queremos participar

+ Nestes locais, a subversão democrática se deu pela unção de líderes políticos eleitos pelo voto popular

+ E que, em seguida, medida por medida, vem descontruinsdo os pilares que sustentam a democracia e pavimentando o caminho para o autoritarismo

+ Barroso/TSE: há três fenômenos distintos em curso em todo o mundo: o populismo, o extremismo e o autoritarismo

+ Barroso/TSE: o populismo tem lugar quando líderes carismáticos manipulam as necessidades e os medos da população

Veja mais:

+ Apresentam-se como sendo “contra tudo isso que está ai” e prometendo soluções simples e erradas para problemas graves

+ Quando o fracasso bate à porta, é preciso encontrar culpados

+ O populismo vive de arrumar inimigos para justificar o seu fiasco: pode ser a imprensa, pode ser o comunismo, podem ser os tribunais

+ Barroso/TSE: o populismo usa as mídias sociais e o ataque às supremas cortes que têm o papel de, em nome da constituição, limitar e controlar o governo

+ Barroso/TSE fala do extremismo que tem se valido de campanhas de ódio: Manifestação emblemática foi a invasão do capitólio nos EUA

+ E por aqui não faltou quem pregasse a invasão do congresso e do STF

+ Barroso/TSE: fala do autoritarismo. Parte de nós já não tem lembranças da ditadura, por isso, nossos jovens são presas fáceis desses discursos

+ Eu vivi na ditadura e as pessoas têm saudades de um tempo bom, que não houve

+ Uma das estratégias do autoritarismo é criar um ambiente de mentira

+ E uma das tentativas do autoritarismo é deslegitimar os processos eleitorais

+ Barroso/TSE: insulto não é argumento; ofensa não é coragem; a incivilidade é uma derrota do espírito

+ A falta de compostura nos envergonha perante o mundo

+ A marca Brasil sofre neste momento uma desvalorização global; não é só o real que está desvalorizando

+ Somos vítima de chacota e de desprezo mundial

+ Um desprestígio maior que a inflação, que o desemprego, que queda de renda, alta do dólar, queda da Bolsa, desmatamento da Amazônia, que o número de mortos pela pandemia, fuga de cérebros e de investimentos

+ Mas o pior é que a falta de compostura nos diminui perante nós mesmos,

+ Não podemos permitir a destruição das instituições para encobrir o fracasso econômico, moral e social que estamos vivendo

+ A democracia tem lugar para liberais, conservadores e progressistas

+ A democracia só não tem lugar para quem pretenda destruí-la

Paralisação

Depois de uma madrugada de paralisações em estradas dos país feitas por caminhoneiros em apoio ao governo, o presidente Jair Bolsonaro vai se reunir ainda na manhã desta quinta-feira com representantes da categoria, disse o presidente a apoiadores.

A informação foi posteriormente confirmada pelo Ministério da Infraestrutura.

“Eu tenho uma hora na manhã… já tenho o tempo tomado com o pessoal dos Brics, uma hora, mas estou mais cedo também. Nesses dois intervalos vou conversar com os caminhoneiros para a gente tomar uma decisão”, disse o presidente a apoiadores na frente do Palácio da Alvorada nesta manhã.

O encontro foi confirmado à Reuters pela assessoria do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que está com o presidente no Palácio do Planalto. A conversa deve acontecer por videoconferência.

Confira na íntegra:


Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo

*Com BDM

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas