CPI da Covid-19 elege Omar Aziz presidente; Renan Calheiros será relator

Randolfe Rodrigues foi eleito vice presidente da Comissão; TRF suspende liminar que impedia Renan de ser o Relator da CPI

Nesta terça-feira (27) o Senado instalou a Comissão Parlamentar de Inquérito, CPI da Covid, para apurar se o governo deve ser responsabilizado pelo número expressivo de casos e mortes de covid-19, como o caso da falta de respiradores e cilindros de oxigênio no Amazonas.

O Senador Omar Aziz (PSD-AM) foi eleito como presidente, com 8 votos a favor e 3 contra, e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), como vice, com 7 votos a favor. Apesar dos protestos dos aliados de Bolsonaro, logo após a decisão do colegiado em definir Omar como presidente, ele indicou Renan Calheiros para ser o relator da CPI.

A Justiça Federal em Brasília chegou a conceder uma liminar, no final da noite da segunda-feira (26), atendendo o pedido da Deputada Carla Zambelli (PSL-SP), para suspender uma eventual escolha de Renan para o cargo de relator. No entanto, o TRF derrubou a liminar. 

Os senadores da CPI pretendem começar apurando os casos das aquisições de vacinas contra o novo coronavírus, como as negociações para compra de 70 milhões de doses da farmacêutica Pfizer, em agosto do ano passado, que ofereceu a proposta ao governo com prazo de entrega em dezembro do mesmo ano, mas não houve um acerto nas negociações. 

A CPI deve convocar todos os Ministros da Saúde que passaram pelo cargo durante o governo Bolsonaro, são eles: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich, Eduardo Pazuello e o atual Marcelo Queiroga.

O governo está sendo acusado de negligência na compra de vacinas; Falta de medidas restritivas adotadas para conter o avanço do vírus no país; Minimização da gravidade da doença; Uso de medicamentos sem comprovação científica como medida de prevenção para Covid-19; e a militarização do Ministério da Saúde.

Os aliados do governo Bolsonaro ainda tentaram atrapalhar a tramitação da criação da CPI, mas sem sucesso. 

Bolsonaro ainda deve tentar sua reeleição em 2022 e caso a CPI determine que o governo teve responsabilidade no agravamento da pandemia, pode abrir possibilidades para um possível impeachment.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas